| 5 comentários ]

Metrossexual:

É um termo originado nos finais dos anos 90, pela junção das palavras metropolitano e heterossexual, sendo uma gíria para um homem heterossexual urbano excessivamente preocupado com a aparência, gastando grande parte do seu tempo e dinheiro em cosméticos, acessórios e roupas de marca.
Foi usado pela primeira vez em 1994 pelo jornalista britânico Mark Simpson e foi aproveitado pelas revistas masculinas britânicas e norte-americanas para fazerem desta definição o seu público-alvo. Depois da sua utilização ter decrescido nos EUA, o termo foi re-introduzido em 2000 a par da diminuição dos tabus relativos à cultura gay (e com a qual este termo era frequentemente confundido).
Mas só em 2002 é que o termo se vulgarizou. Tudo começou com um novo artigo de Mark Simpson, onde afirma que um exemplo conhecido de alguém que se encaixa no perfil do metrossexual é David Beckham, atleta do Los Angeles Galaxy, que gosta de passar o dia nas compras, arranjar as unhas, ir ao cabeleireiro ou cuidar do corpo. Após a publicação de tal artigo, a firma Euro RCSG Worldwide adoptou-o numa pesquisa de mercado e o jornal New York Times deu uma grande destaque à metrossexualidade, difundindo amplamente o termo.
Os metrossexuais são conhecidos por não viverem sem a sua marca predilecta de hidratante para a pele, apreciarem um bom vinho, sonharem com o último modelo de carro desportivo e gostarem de comprar peças de design. São heterossexuais. Estes seres vaidosos estão geralmente bem colocados profissionalmente.
Mais do que uma moda passageira, a presença deste homem está bem viva nos EUA e Europa, tendo o mercado de acessórios masculinos crescido exponencialmente. Marcas como Dolce & Gabbana, Giorgio Armani, Prada ou Versace têm colocado cada vez mais artigos à disposição dos seus clientes. Por outro lado, a marca de sapatos de design italiano Tod's tem-se dedicado a modelos feitos à mão para este nicho de mercado, podendo atingir um par de sapatos valores como 350 euros.
O aparecimento recente deste termo está ligado à alteração de comportamento do sexo masculino no final do século XX. Tal como as mulheres, os homens começaram a folhear as revistas masculinas para saberem o que está ou não na moda. Deixaram de cortar o cabelo no barbeiro e passaram a frequentar com mais assiduidade os institutos de beleza. Têm cuidados com a sua pele e sentem-se menos embaraçados para entrarem numa perfumaria e adquirirem cosméticos para si. Nos anos 70, apenas alguns homossexuais masculinos se preocupavam com tais questões.
Uma britcom de 1999 com 6 episódios, intitulada Metrosexuality - Metrossexual Como Eu, na tradução portuguesa - foi transmitida em Portugal no canal do cabo SIC Radical em 2004.
No Brasil, o famoso cantor e apresentador de TV Ronnie Von, define-se como metrossexual e direciona seus programas para temas femininos, como culinária e moda.

fonte:Wikipédia




O comportamento metrossexual é aquele que o indivíduo forma uma postura de preocupação excessiva com a aparência e pratica relações sexuais com o sexo oposto. Embora o termo tenha sido usado inicialmente apenas para os homens heterossexuais ele pode ser aplicado também para as mulheres. O objeto de desejo sexual é a própria pessoa que deve se cuidar bem para se destacar em sociedade. A grande maioria dos metrossexuais é heterossexual, embora também existam metrossexuais que também bissexuais. Dizer que um metrossexual é apenas hétero é preconceito da classificação, pois o fato de um bissexual cuidar excessivamente da aparência não significa que é uma característica da homossexualidade, no entanto este conceito de aparência é decisivo à metrossexualidade.
fonte:correioregional





5 comentários

pinguim disse... @ segunda-feira, 28 julho, 2008

Embora não contrarie nenhuma das afirmações ou definições aqui dadas, eu tenho uma opinião muito pessoal sobre os metrossexuais; todos os exemplos que conheço, e David Beckham é realmente o mais notório, se aproximam bastante da homossexualidade e digamos, mesmo, que estão na "fronteira", caso isso se possa dizer.
É apenas uma opinião muito pessoal...
Abraço.

ctt disse... @ segunda-feira, 28 julho, 2008

Eu sempre achei o produto final da metrossexualidade uma coisa demasiado artificial...

Paulo disse... @ segunda-feira, 28 julho, 2008

bem, acho que andar limpinho e com bom ar só pode ser positivo. de qualquer modo, metrossexual é termo um pouco infeliz desde a nascença, porque não tem muito a ver com a sexualidade, mas com o aspecto. mas ainda bem que cada vez há mais metrossexuais (por acaso, não os confundo nada com homossexuais, embora muitos sejam metrossexuais).

CÓDIGO SECRETO disse... @ segunda-feira, 28 julho, 2008

Acho que tudo sem exagero é bacana!! e tambem acho que é um passo da "fronteira"

abraços

Carla disse... @ terça-feira, 29 julho, 2008

um bom artigo...esclarecedor! Mas confesso que acho que os ditos metrossexuais têm o seu quê de artificial...produto fabricado!
beijos

Postar um comentário